OAB-MT cobra da direção da PJC agilidade nas investigações da morte do advogado Renato Nery

OAB-MT cobra da direção da PJC agilidade nas investigações da morte do advogado Renato Nery

A presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Gisela Cardoso, juntamente com uma comitiva da instituição, se reuniu nesta segunda-feira (8), com a direção da Polícia Judiciária Civil (PJC) e da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para cobrar celeridade nas investigações do assassinato do ex-presidente da Seccional, o advogado Renato Nery.

Segundo Gisela Cardoso, indagou a direção da Polícia Judiciária Civil (PJC) e a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) cobrando celeridade nas investigações  OAB-MT está muito preocupada com o assassinato, pois é a segunda ocorrência sequencial com características de execução dentro da advocacia em Mato Grosso. Disse Gisela.

“Todo crime deve ser solucionado com agilidade, sem exceção. São vidas ceifadas, porém, neste caso, esta é a segunda ocorrência sequencial com características de execução, dentro da advocacia. Há um apelo muito grande da advocacia, que está muito preocupada com os fatos”, declarou a presidente.

A presidente da OAB-MT Gisela, lamentou o ocorrido e que á advocacia está estarrecida com a tragédia, a OAB, por meio da Comissão Especial instaurada no último sábado (6), vai acompanhar as investigações até a responsabilização dos autores do crime. O diretor metropolitano da PJC, delegado Wagner Bassi, assegurou que tanto a OAB-MT quanto a sociedade terão sim uma resposta à altura do ocorrido. Ele destacou que as diligências iniciaram logo após o crime e que há uma missão em andamento. “É uma questão de tempo.

O delegado Wagner Bassi, da PJC, afirmou que as investigações já foram iniciadas e que o caso não ficará impune, lembrando o caso do assassinato do advogado Roberto Zampieri, em dezembro de 2023, que foi solucionado em 3 meses.

O delegado Wagner Bassi criticou a circulação de fake news, alegando que isso prejudica o êxito das investigações policiais.

Diante das fake news que começaram a circular no final de semana e nesta segunda-feira (8), alegando que Nery teria relatado ameaças e que OAB-MT teria sido omissa, o delegado Wagner Bassi destacou que, diante de um caso grave como este, “fazer sensacionalismo e espalhar fake news são atitudes que prejudicam o êxito das investigações policiais”.

Em nota divulgada na manhã desta segunda-feira (8) a OAB-MT esclareceu que não houve protocolização de nenhum requerimento de proteção à integridade física ou à vida do advogado Renato Nery e sim foi protocolada uma representação disciplinar.

Gisela Cardoso, participou da reunião juntamente com outros representantes da OAB-MT e da PJC, incluindo delegados da DHPP responsáveis pela investigação. Estiveram presentes na reunião o diretor-tesoureiro da OAB-MT, Helmut Daltro, o ex-presidente da Seccional, Ussiel Tavares, e a presidente do Tribunal de Defesa das Prerrogativas, Regina Dessunte, que compõem a Comissão Especial de acompanhamento das investigações, e o vice-presidente do Tribunal de Ética e Disciplina (TED), Antônio Luiz Ferreira.

Na reunião os responsável pelas investigações da PJC, estiveram presentes o delegado Wagner Bassi, diretor metropolitano, o delegado-geral adjunto Bastos da Silva, o diretor de Atividades Especiais, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, os delegados da DHPP, Rodrigo Azem (titular) e Bruno Abreu, responsável pela investigação.

 

Redação JA / Foto: reprodução

Clique abaixo e leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *