Violência doméstica: iniciativa de MT é exemplo

26/10/2018 – A desembargadora pernambucana Daisy Andrade, coordenadora estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica do TJPE, e as juízas Ana Cristina de Freitas Mota e Maria Eliane Cabral Campos Carvalho, das varas de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de Recife visitaram no dia 23 de outubro a Auditoria de Gestão de Primeira Instância (AGPI) da Corregedoria-Geral da Justiça de Mato Grosso (CGJ-MT). As magistradas foram recebidas pela desembargadora corregedora Maria Aparecida Ribeiro e pela desembargadora responsável pela Cemulher no Estado, Maria Erotides Kneip.

 

O auditor Marcos Ferreira Girão Junior apresentou o funcionamento do setor, explicou como são monitorados em tempo real os 41 indicadores (temáticos e operacionais), e mostrou como são enviadas as notificações para as varas. “Nosso trabalho é preventivo e orientativo, visando o acompanhamento do trâmite processual nas unidades judiciárias conforme determinação da corregedora. Aqui conseguimos identificar quais processos e há quanto tempo estão sem movimentação”, explicou.

 

O servidor então detalhou os dois indicadores criados este ano para monitorar processos relacionados à violência doméstica e feminicídio nas 79 comarcas de Mato Grosso:

 

As magistradas de Pernambuco elogiaram a iniciativa da CGJ-MT em parceria com a Cemulher e disseram que vão levar a ideia para o TJPE, uma vez que esse monitoramento permite priorizar casos mais críticos de processos sem andamento, que demandam urgência.

 

Por/Ana Luíza Anache – TJMT/ Foto Reprodução

26, outubro, 2018|