VILA BELA : Eventos discutem situação atual e perspectivas de mulheres negras

Primeira capital da capitania de Mato Grosso e berço da resistência cultural, a cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade recebe, a partir desta quarta-feira (24), dois eventos voltados à promoção da igualdade racial e de gênero. São eles o 2º Encontro Estadual de Mulheres Quilombolas de Mato Grosso e o 1º Seminário Empoderando Terezas. Os encontros ocorrem em alusão à comemoração do Dia Nacional de Tereza de Benguela, comemorado em 25 de julho, data em que serão encerrados os eventos.
    O encontro tem como apoiadores a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB-MT), por meio da Comissão de Defesa da Igualdade Racial, a Prefeitura de Vila Bela da Santíssima Trindade, Conaq, Fase Mato Grosso, Fórum Mulheres Negras de Mato Grosso e o Conselho Estadual da Promoção da Igualdade Racial (Cepir).
    A ideia central do evento é ir além da valorização da dança e do folclore e criar um processo de formação para dar visibilidade a resistência feminina.  Além disso, contará com formação em empreendedorismo, valorização da cultura afro, Literatura afro, e evento cultural com performances e bandas que valorizam as mulheres e a herança africana.
    Na abertura, a organização preparou uma mesa de debates com o tema “Mulheres elas são o que quiserem ser! Pretas no poder”, que contará com a participação da advogada Naryanne Ramos, da professora Silviane Ramos, da bacharel em Direito Laura Silva, da professora Francileia Paula Castro e da performer e escritora Luna Vitrolira.
    As tendências e perspectivas das mulheres negras em Mato Grosso serão tema da segunda mesa de discussões do evento, que será mediada pela assistente social, Elis Regina Prates. A última mesa será comandada pela escritora Luna, que trará aspectos da cultura, escritas e a mulher negra.
    O período vespertino do dia da abertura do evento foi reservado para a formação de seis grupos de trabalho, que trabalharão temas como educação escolar quilombola, mulheres negras e ameríndias na política e economia verde e empreendedorismo. Já a noite contará com diversas apresentações culturais.
    O segundo dia também terá a realização de três mesas, além da continuidade dos grupos de trabalho. Estarão em voga temas como direito e a defesa da igualdade, agenda da década afrodescendente e as mulheres na fronteira oeste, negras e chiquitanas.
    Com o encerramento do evento, na noite de quinta, começa o Festival Trindade, com muitas atrações culturais, como o projeto Muzimba, além da exposição de produtos artesanais.
Redação ja com informações da Assessoria
Foto; Reprodução
23, julho, 2019|