Vereadores lutam pelo não fechamento da Santa Casa,para continuar atendendo a População

04/02/2019 – Os Vereadores Dílemário Alencar ( MDB), Toninho de Souza (PSD), participaram nesta segunda-feira (03),  de reunião com servidores da Santa Casa que visou buscar e intermediar junto a Prefeitura e o Governo uma solução para o não fechamento da Santa Casa e o pagamento dos salários dos servidores que já vai para cinco mês atrasados.

O Vereador, na oportunidade disse que cobrou a renúncia do ex-presidente da Santa Casa porque a gestão dele estava muito questionada, havendo necessidade de mudança na direção para buscar alternativas de melhor aplicação dos recursos públicos recebidos pela direção do hospital. Confirma Dilemário

O movimento ‘Santa Casa de Portas Abertas’ lançado também nesta ocasião pelo vereador Toninho de Souza (PSD) A intenção é mobilizar sociedade e poder público para o equilíbrio financeiro do hospital e resgate da autoestima dos funcionários

Desde que foi criada, há 200 anos, a Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá nunca presenciou tanta dor e quase foi parar na UTI. Da Porta da Unidade de Terapia Intensiva, viu a sua diretoria parar nas páginas policiais, virou alvo do Ministério Público.
Tenho defendido que é muito importante que a Santa Casa continue aberta para atender a população, principalmente a mais humilde que depende do serviço público de saúde gratuito. Por isso, peço o apoio de toda população na mobilização junto aos governantes pela manutenção da Santa Casa. Disse Toninho de Souza.
O objetivo é mobilizar o Poder Público, sociedade e o setor empresarial para dar fôlego à instituição que se confunde com a própria história da cidade e que, segundo o parlamentar, já ficou livre do câncer que a sufocava aos poucos. “Com a renúncia do médico Antônio Preza, no dia 29 de janeiro, encerrando um ciclo polêmico de seis anos, a presidência da Santa Casa agora merece esse voto de confiança. Quero acreditar que o médico Carlos Coutinho, o novo presidente, conduza esse processo de resgate e assumo o compromisso de ajudar enquanto cidadão e paciente desse hospital que é um dos mais bem equipados de Mato Grosso e conta com um corpo de funcionários altamente qualificado e comprometido”, analisou.
A polêmica em torno da crise na Santa Casa dura cinco anos, em meio a denúncias de má aplicação dos recursos financeiros, má fé na coleta de doações e favoritismo a parentes e amigos nos principais cargos contratados pela gestão do então presidente Antônio Preza. “Não cabe aqui a desculpa esfarrapada de que o senhor Preza deixou a diretoria do hospital motivado por uma emenda da bancada federal, no valor de R$ 12,4 milhões, que estaria na conta do Fundo Municipal de Saúde e ainda não teria sido repassada à unidade. Ele saiu pelo bem comum da Santa Casa e acho que os órgãos de fiscalização e investigação devem apurar toda essa história e responsabilizar criminalmente os responsáveis”, disse Toninho. Ele completou dizendo que a Santa Casa nunca foi problema, mas a solução para prefeitura e Estado. “O problema era o seu presidente incompetente e malicioso”.
Toninho de Souza observa que não se trata apenas de garantir a bom funcionamento ambulatorial, clínico e cirúrgico da Santa Casa, mas, também, a qualidade de vida de seus funcionários administrativos, prestadores de serviços, médicos e enfermeiros. “Quem aguenta ficar quase quatro meses sem receber os salários? Já tem funcionário passando fome, literalmente. Há tantos outros com os nomes sujos por não conseguir pagar as contas e tantos outros que foram obrigados a contrair financiamento bancário e também se complicaram a longo prazo com o pagamento de juros”.
Além desse quadro caótico apontado pelo vereador, os funcionários também não receberam o décimo terceiro salário e os médicos estão há seis meses sem receber pelos serviços prestados. “Essa reunião de segunda-feira, na qual pretendemos sensibilizar a todos para um momento de reflexão será um marco nessa nova fase da Santa Casa. Juntos, vamos pôr um fim a esse coma induzido por uma direção irresponsável. O remédio se chama solidariedade, confiança e apoio a essa instituição que é não apenas dos cuiabanos, mas, de todos os mato-grossenses”.
Atualmente, a Santa Casa de Cuiabá tem 60% do seu atendimento pelo SUS. É um hospital geral com especialidades médicas e cirúrgicas e reconhecidamente um dos que mais atendem pacientes menos favorecidos, vindos do interior e até de outros estados. Possui 220 leitos, sendo 30 de UTI, e atende diariamente centenas de pessoas. Por outro lado, acumula dívidas. No último acordo firmado entre a direção da Santa Casa e o Ministério Público do Trabalho, ficou acertado o pagamento de uma dívida em torno de R$ 7 milhões com funcionários e prestadores de serviços. A gestão de Antônio Preza descumpriu e cabe agora ao médico Carlos Coutinho dar alta às dívidas e retomar o devido respeito a história da Santa Casa. “Só precisamos de união e solidariedade para ajudar. Cabe a nova direção, dar o tratamento necessário com eficácia e transparência e, ao Poder Público, oferecer soluções práticas, legais e emergenciais. Juntos, vamos tirar a Santa Casa da UTI”, finalizou Toninho de Souza.
Da Redação com Assessoria Rui Mattos
4, fevereiro, 2019|