Venezuela não dá chances à Bolívia e vai às quartas

Não houve Marcelo Moreno no Mineirão, onde o centroavante fez história pelo Cruzeiro, que impedisse a Venezuela de aproveitar a vitória brasileira sobre o Peru e garantir a segunda colocação do Grupo A da Copa América. Mostrando organização e bom volume ofensivo, a seleção Vinho Tinto contou com dois gols de um inspirado Machís, e um de Martínez, para vencer a Bolívia por 3 a 1, neste sábado, em Belo Horizonte. Justiniano descontou para os bolivianos.

O jogador Machis, da Venezuela, comemora seu gol marcado diante da Bolívia, durante partida válida pela 3ª rodada do Grupo A, realizada no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG), neste sábado, dia 22.
O jogador Machis, da Venezuela, comemora seu gol marcado diante da Bolívia, durante partida válida pela 3ª rodada do Grupo A, realizada no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG), neste sábado, dia 22.

Foto: GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS / Estadão Conteúdo

Nas quartas de final, a Venezuela encara o segundo colocado do Grupo B – cujo a liderança está garantida pela Colômbia. Paraguai, Qatar e Argentina brigam pela segunda posição da chave. A Bolívia, por sua vez, se despede da Copa América com nenhum ponto conquistado.

A TODO VAPOR!
Sem tempo para conversas, a Vinho Tinto colocou a Bolívia contra as cordas logo no primeiro minuto. Em jogada bem trabalhada, Savarino encontrou Hernández na direita, que cruzou para Machís se antecipar à marcação boliviana, testar forte e abrir os trabalhos no Mineirão.

AS VILÃS
Mesmo faltando organização, a seleção boliviana mostrou ímpeto, mas parou na trave duas vezes. Primeiro, Arano recebe recebeu de Ramiro Vaca na entrada da área e encheu o pé. Com a ponta dos dedos, Fariñez desivou e a bola explodiu no poste direito. Já no fim do primeiro tempo, Castro, novamente no limite área, pegou uma sobra, ajeitou para a direita e soltou a bomba, que parou na trave esquerda da Venezuela.

MORENO NÃO FEZ
A dois gols de tornar-se o maior artilheiro da história de ‘La Verde’, Marcelo Moreno sofreu com o excesso de erros da Bolívia no momento ofensivo. O centroavante ficou isolado no ataque e, na maioria das vezes, recebeu lançamentos longos ruins, cercado por dois ou mais marcadores.

SHOW MACHÍS
O camisa 7 da Venezuela estava impossível neste sábado. Aos nove da segunda etapa, o jogador recebeu na esquerda, cortou para o meio, e da risca da grande área, acertou um lindo chute, que ainda sofreu leve desvio e entrou perto do ângulo esquerdo de Lampe. Um golaço. Aos 21, o atacante recebeu uma bola viajante na área e, por pouco, não marcou o terceiro em um voleio espetacular.

Marcelo Moreno ,jogador do Bolivia,partida válida pelo 3º rodada do grupo A da Copa da América 2019,no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte
Marcelo Moreno ,jogador do Bolivia,partida válida pelo 3º rodada do grupo A da Copa da América 2019,no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte

Foto: GLEDSTON TAVARES/FRAMEPHOTO / Estadão Conteúdo

ATOS FINAIS
Sustentada pela boa vantagem, a Venezuela passou a jogar com menos responsabilidade e desandou a perder chances. Com “quem não faz, toma”, Justiniano, em conta-ataque, descontou para a Bolívia. Astro da liga americana, Josef Martínez freou qualquer reação de La Verde com o terceiro com venezuelano, aos 41 do segundo tempo, dando números finais à partida.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 1 X 3 VENEZUELA

Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 22 de julho de 2019, às 16h
Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)
VAR: Nestor Pitana (ARG)
Públicototal/renda: 11.746 / R$ 631.605
Cartões amarelo: Justiniano e Raúl Castro (BOL)

GOL: Machís 01’/1ºT (0-1), Machís 09’/2ºT (0-2), Justiniano 36’/2ºT (1-2), Josef Martínez 41’/2ºT (1-3)

BOLÍVIA: Lampe; Diego Bejarano, Haquín, Jusino e Marvin Bejarano Roberto Fernández 36’/2ºT); Justiniano, Arano, Saucedo, Ramiro Vaca; Leonardo Vaca (Raúl Castro. 33’/1ºT) e Marcelo Moreno (Gilbert Álvarez 32’/2ºT). Técnico: Eduardo Villegas

VENEZUELA: Fariñez; Hernández, Chancellor, Mago e Rosales; Moreno e Rincón; Machís (Josef Martínez, 26’/2ºT), Savarino e Añor (Soteldo, 12’/2ºT); Salamon Rondón (Murillo 40’/2ºT) Técnico: Rafael Dudamel

22, junho, 2019|