Sinpol-MT repudia atitude do delgado geral da PJC Mário Dermeval

O Sindicato do Investigadores de Polícia do Estado de Mato Grosso repudia veementemente a parcialidade do gestor da Polícia Judiciária Civil, o delegado geral Mário Dermeval, ao determinar a abertura de Procedimento Administrativo para apurar o vazamento de imagens da prisão do empresário Valdir Piran, em Brasília (22/10), sob a suspeita de participação de investigadores da Polícia Judiciária Civil que participavam da operação.

O SINPOL/MT chama a atenção para o possível uso da máquina administrativa com viés político para penalizar ou sobrepujar profissionais que atuam incansavelmente na defesa da sociedade. Deve-se ressaltar que no momento da prisão outras pessoas também estavam no local. Portanto, todas elas deveriam ser investigadas.

O SINPOL/MT continuará cobrando explicações do delegado titular da Delegacia Fazendária, Anderson Veiga, e do delegado geral da PJC, sobre o real motivo desta medida seletiva, haja vista não termos conhecimento de algum outro procedimento no mesmo sentido em operações semelhantes.

Com informações da diretoria

3, novembro, 2019|