Presidente do TRE-MT busca apoio do TSE para avançar biometria

Mato Grosso está com 69,69% do eleitorado biometricamente cadastrado. No entanto, dos 141 municípios mato-grossenses, a biometria ainda não é realidade em 81 cidades, dentre as quais há pontos considerados de difícil acesso. Para concluir essa etapa, o Presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, desembargador Gilberto Giraldelli, juntamente com sua equipe técnica, foi pessoalmente no Tribunal Superior Eleitoral em busca de apoio, principalmente, no que se refere a aquisição de novos kits biométricos.

A solicitação de apoio aconteceu nesta quinta-feira (17/05). Durante reunião com o diretor geral do TSE, Anderson Corrêa e o juiz auxiliar da Presidência da Corte Superior, Ricardo Fioreze, o presidente do TRE fez um breve resumo da situação biométrica do Estado de MT e quais os desafios a serem superados para se concluir o cadastramento biométrico do Eleitorado mato-grossense.

“Em Mato Grosso, já concluímos a revisão em 60 municípios, incluindo os maiores colégios eleitorais, como, por exemplo, Cuiabá e Várzea Grande. Restam 81 municípios, os quais possuem 152 seções eleitorais pulverizadas e classificadas com índice de elevada complexidade, seja por conta da infraestrutura, energia elétrica, espaço físico, conectividade e acessibilidade. Para avançar precisamos de mais kits biométricos e é nesse sentido que buscamos apoio do TSE”.

Presente na reunião, o secretário de tecnologia da informação do TRE, Luiz Cézar Darienzo, reforçou a necessidade de adquirir novos kits biométricos. “A cada revisão vamos sofrendo baixa no quantitativo de kits disponíveis para iniciarmos novos procedimentos. Quando finalizamos o cadastramento biométrico em determinado município, alguns kits passam a integrar o patrimônio da zona eleitoral para garantir a continuidade dos trabalhos e outros, sofrem danos e desgastes por conta do uso e nem sempre é possível sua reparação”.

Diante do cenário, o diretor geral do TRE, Mauro Sérgio Diogo, explicou que um estudo de ajustamento do Projeto Biometria de MT está em fase de conclusão. “A complexidade de implantação de novos “postos revisionais” aumentou consideravelmente no atual cenário. Então estamos desenvolvendo um novo projeto que nos permita evoluir no percentual de eleitores cadastrados, mas com respeito a realidade do nosso Estado, bem como a capacidade física e funcional de cada Zona Eleitoral, o lapso temporal, o orçamento disponível, entre outros fatores”.

O juiz auxiliar da Presidência do TSE, Ricardo Fioreze ouviu atentamente as explicações trazidas pelo presidente do TRE e sua equipe técnica e garantiu se empenhar para que as solicitações fossem atendidas.

Também foi pauta da reunião o provimento de dois cargos vagas de analista judiciário – área judiciária. “Duas analistas que pertenciam ao quadro do TRE/MT foram laborar no TSE e para que não houvesse prejuízo e em respeito a reciprocidade, a Corte Superior redistribui dois cargos vagos deles para nós. No entanto, a consolidação das redistribuições ocorreu somente após a edição da Portaria TSE nº 574/2018, que determinou a suspensão de provimento de cargos cujas vacâncias ocorreram em período anterior a 1º de abril de 2018, o que contempla os dois casos”, explicou o presidente do TRE, que em relação a essa demanda, protocolou um ofício direcionado a presidente do TSE, Ministra Rosa Weber. No documento, o desembargador solicita, diante do contexto excepcional, a autorização para o provimento dos 02 cargos vagos recebidos do TSE,

 

Por: Andréa Martins Oliveira

17, maio, 2019|