Prefeitura reforça compromisso com redução de resíduos na abertura da Semana Lixo Zero

23/10/2018 – A Prefeitura de Cuiabá anunciou uma série de ações para a conscientização e preservação do meio ambiente, durante a abertura da Semana Lixo Zero, na segunda-feira (22). A iniciativa é do Instituto Lixo Zero (ILZ), que promoverá debates em torno da redução, gestão e encaminhamento correto de resíduos até o dia 27 de outubro. O encontro aconteceu no auditório do Centro Sebrae de Sustentabilidade, onde também foi lançada a campanha LEV-Local de Entrega Voluntária, para lixo eletrônico.

O secretário de Comunicação e Inovação, Júnior Leite, explicou que a Pasta pode contribuir por meio do trabalho de divulgação, uma vez que, é de extrema importância que a população tenha conhecimento sobre as ações. “Temos um grupo de voluntários trabalhando, mas esse esforço é o mesmo que enxugar gelo se não informarmos a sociedade e convocarmos mais gente a participar, além, é claro de estimulá-los a dar a destinação correta aos seus resíduos.”

De acordo com o diretor do projeto Teoria Verde e embaixador da Semana Lixo Zero em Cuiabá, Jean Peliciari, o grupo não possui fins lucrativos e é pioneiro na disseminação do conceito Lixo Zero no Brasil. Fundado em 2010, O ILZB representa no Brasil a ZWIA – Zero Waste International Alliance, movimento internacional de organizações que desenvolvem o conceito e princípios Lixo Zero no Mundo.

“A Semana do Lixo Zero será uma oportunidade para que o tema fique em evidência. É preciso uma mudança de atitude da população e uma melhora nos serviços públicos. O lixo é um problema compartilhado com solução também compartilhada”, disse. O diretor lembrou também que não encontrou a mesma abertura para o fortalecimento de ações do tipo em outras gestões. “Quando procuramos o prefeito Emanuel Pinheiro ele nos atendeu prontamente, se disponibilizando a contribuir. Isso é um diferencial.”

Em parceria com instituições públicas e privadas locais, a ideia da Semana, além de conscientização, é mostrar para governos e sociedade que é possível administrar de forma mais inteligente o lixo gerado por todos. O encaminhamento correto dos resíduos, reduzindo o máximo possível a sua geração, são algumas propostas trabalhadas em diversas ações realizadas em cidades como Florianópolis, Curitiba, Belo Horizonte, São Paulo, Goiânia, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Santos e Joinville.

Várias atividades serão realizadas em espaços públicos, como a Intervenção Achados e Perdidos na Praça da República, na terça-feira (23). Palestras educativas serão ministradas em creche e escola municipais. Na sexta (26), será realizada visita guiada ao lixão de Cuiabá. No domingo (28), a Semana Lixo Zero será encerrada com caminhada na trilha ecológica do Rio Casca e banho na Cachoeira Martinha, coordenados pela Bravo Ecoturismo, em Chapada dos Guimarães, das 10h às 18h.

“Temos que trabalhar a conscientização desde cedo, por isso estamos dando esse suporte para ações com as crianças, para que elas desenvolvam um pensamento sustentável. Temos o planejamento de plantar 300 mil arvores até 2019, mas só isso não basta. Nossa tarefa é fazer com que a informação chegue às pessoas e as sensibilize”, disse Júnior.

O secretário de Serviços Urbanos, José Roberto Estopa também destacou outras ações da pasta que vem reforçando o compromisso do prefeito com a limpeza da cidade. Segundo ele, há três anos a Capital tinha aproximadamente 300 bolsões de lixo em Cuiabá, reduzidos agora para 60. O programa Cata Treco, que recolhe itens inservíveis por cerca de 200 bairros também foi lembrado por Estopa, que aproveitou a ocasião para anunciar o lançamento da licitação para a coleta seletiva de lixo.

“Sabemos que isso não vai resolver o problema em sua totalidade, mas muita gente vai começar a se espelhar e a mudança começa pela educação. Só na área central de Cuiabá, por meio da varreção, tiramos cinco toneladas diárias. Isso é um absurdo. Mesmo na Orla do Porto, onde há lixeiras de 20 em 20 metros, os nossos servidores retiram todas as noites uma enorme quantidade de lixo. É uma cultura que tem começar a ser mudada”, finaliza.

Também participaram do evento o secretário de Estado do Meio Ambiente, André Baby, o presidente do Sindirecicle, Fabrício Magreiter, o presidente da Associação de Engenheiros Sanitaristas do Estado de Mato Grosso, Benildo Valério e o representante da Ecodescarte Reciclagem de Eletrônicos, Thiago Pegorini.

Para além desta semana

O secretário Júnior Leite também anunciou que a gestão vem trabalhando para obter uma série de certificados de sustentabilidade para o Palácio Alencastro. Os principais pontos para a obtenção dos “selos verdes” dizem respeito ao reaproveitamento de água, de material de escritório e economia de energia.

“É uma determinação do prefeito que os sete andares sejam sustentáveis. Acredito que não haja uma demonstração de compromisso como meio ambiente maior que essa. Começamos pelo sexto e sétimo andares. É um trabalho de formiguinha, mas dá a sociedade esse recado, de que o poder público está fazendo sua parte. Além disso, mais importante que os selos é a prática e a conscientização de 19 mil servidores”, finalizou.

O que é o conceito Lixo Zero?

O conceito Lixo Zero objetiva o máximo de reaproveitamento, o correto encaminhamento dos resíduos reciclados e orgânicos e a redução – ou mesmo o fim – do encaminhamento desses materiais para aterros sanitários ou incineração. Neste ano, as ações têm como tema “Lixo Zero é uma atitude cidadã”, com foco na conscientização de que cada indivíduo é responsável pela solução dos problemas causados pelo lixo.

“Hoje, cada um de nós gasta mais de R$ 100 por ano com coleta e destinação do lixo. Se transformarmos isto em escolas, são mais de 10 mil escolas jogadas no lixo, literalmente. Ou 20 mil postos de saúde, 15 universidades federais, 15 mil quilômetros de estradas, por exemplo. Isto por ano, todos os anos. Em resumo, estamos jogando melhorias para as cidades no lixo”, explica o presidente do ILZ, Rodrigo Sabatini.

 

Por; ANDRÉ GARCIA SANTANA / Foto; Luiz Alves

23, outubro, 2018|