População de Sinop apresenta demandas durante Judiciário em Movimento

Mais acessibilidade para pessoas com deficiência nos prédios do Judiciário, projetos de ressocialização de pessoas que acabam de deixar a prisão e mais servidores foram algumas das demandas apresentadas pela população de Sinop (500 km a norte de Cuiabá) que participou da Audiência Pública “Elaboração do Planejamento Estratégico do Poder Judiciário 2021-2026” realizada, na manhã desta sexta-feira (23), no Tribunal do Júri da Comarca.

As sugestões foram dadas pelos sinopenses dentro da programação da terceira edição do Judiciário em Movimento, que atende os Polos de Sinop e Alta Floresta. A servidora pública Jucelma Ferreira elogiou a disposição do presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, e do corregedor-geral da Justiça, desembargador Luiz Ferreira da Silva, em ir ao interior e ouvir os anseios da população. “Sou apaixonada pelo tema ressocialização por acreditar na transformação da pessoa. E neste momento não poderia deixar de expressar minhas considerações”, afirmou.

O diretor do Fórum de Sinop, juiz Cleber Luís Zeferino de Paula, anfitrião do evento, declarou que esta semana é histórica para o judiciário de Sinop. “Estamos muito felizes com a vinda do presidente, do corregedor e de toda administração do TJ. Foi um momento que todos puderam colaborar para a construção do judiciário para os próximos anos, mostrando o que está funcionando e onde podemos melhorar. Realmente esta semana é histórica”, frisou.

Nesta semana, a ‘Capital do Nortão’ se tornou sede itinerante do Poder Judiciário de Mato Grosso com qualificação de servidores e atendimentos à população em parceria com o Executivo municipal. A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli, destacou a importância de ter um canal de comunicação aberto para as pessoas dizerem quais as necessidades. Cada região precisa de alguma coisa específica e esse projeto é maravilhoso, significa estar perto da população. Vejo com bons olhos a aproximação do Judiciário com o cidadão, pois ouvindo nossos cidadãos o Judiciário terá diretrizes para os caminhos a seguir”, reforçou.

O juiz auxiliar da Presidência, Agamenon Alcântara Moreno Júnior, coordenador do projeto, enalteceu o evento. “É uma grande satisfação para o Judiciário percorrer os polos. Isto é o Poder Judiciário de fato se movimentando e trazendo serviços para a população e hoje proporcionando a oportunidade da sociedade dizer qual o Judiciário que pretende para os próximos cinco anos na audiência pública”, definiu. “As ações já estão se desenvolvendo durante a semana, inclusive o JEI (Juizado Especial Itinerante) atendeu nas cidades de União do Sul e de Santa Carmem”, lembrou.

O corregedor Luiz Ferreira aprovou os debates realizados na audiência. “Foi feliz a ideia do desembargador Carlos Alberto em criar o Judiciário em Movimento. Temos a oportunidade de levar o Judiciário àquelas pessoas que mais precisam. E na audiência anotamos todas as demandas, e as que não foram atendidas de pronto serão objetos de estudos”, comentou.

O presidente do TJMT revelou ser um grande prazer voltar a Sinop, onde atuou, em 1986, como juiz substituto e deixou muitos amigos. O magistrado destacou o desenvolvimento ocorrido no município. “Quando cheguei de São Paulo, Sinop não tinha asfalto, mal tinha telefonia. Agora, vemos essa potência e precisamos planejar ações para atender as novas demandas que surgem e que melhorem a prestação jurisdicional. A audiência serve para isto”, afirmou.

Por; Alcione dos Anjos/TJMT

23, agosto, 2019|