Penitenciária feminina ganha espaço para abrigar mães lactantes e bebês

28/11/2018 – Um espaço adequado para abrigar mães custodiadas lactantes junto com seus filhos foi construído pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) na Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, em Cuiabá. Inaugurado nesta terça-feira (27.11), o espaço materno-infantil tem capacidade para abrigar 20 reeducandas e conta com seis quartos amplos com banheiros, além de sala para aleitamento, área de saúde, brinquedoteca e um miniparque.

A diretora da penitenciária, Maria Giselma Ferreira da Silva, pontua que este é mais um sonho da unidade que está sendo concretizado. “É importante a criança recém-nascida passar seus primeiros meses em um ambiente ameno, mais infantil e adaptado para as suas necessidades”.

A construção do espaço teve um custo de R$ 450 mil, com recursos próprios do Estado, e a obra foi feita por reeducandos da Penitenciária Central do Estado. O mobiliário é fruto de um convênio com o Departamento Penitenciário Nacional que destinou armários, bebedouro, refrigerador, conjunto escolar infantil, cadeira para refeição infantil, oxímetro de pulso, estetoscópio, autoclave e poltronas.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Fausto Freitas, destaca que a construção do espaço, além de atender uma exigência judicial, reflete a necessidade de ter um local adequado para que mães, mesmo que na condição de custodiadas, possam dar atenção a seus filhos recém-nascidos.

“A humanização de espaços nos ambientes prisionais é importante para que tenhamos mais condições de trabalhar as atividades ressocializadoras, o que temos buscado imprimir nesta administração, alcançando resultados bastante satisfatórios”.

Mato Grosso tem sete unidades prisionais femininas localizadas em Cuiabá, Colíder, Cáceres, Nova Xavantina, Nortelândia, Tangará da Serra e Rondonópolis, que abrigam atualmente 553 mulheres. A primeira unidade a contar com um espaço humanizado para abrigar mulheres gestantes e lactantes foi a cadeia de Nortelândia, que atualmente tem uma gestante em final de gravidez e uma lactante com um bebê de um mês de vida. A diretora da unidade, Adriana Quinteiro, destaca que o espaço adequado traz mais tranquilidade para que a reeducanda possa ficar com a criança e cuidar durante os primeiros meses.

A promotora da Execução Penal, Josane Fátima Guariente, pontuou que o novo espaço da Penitenciária Feminina traz mais dignidade no trato com as mulheres reclusas lactantes, assim como às crianças. Com o trabalho que vem sendo desenvolvido na unidade, de ofertar ambiente adequado e proporcionar atividades laborais e educativas, ela acredita que é possível tornar a penitenciária uma das melhores no país.

A inauguração do espaço materno-infantil contou com a apresentação do coral formado por reeducandas, coordenado pelo projeto Resgatando Vidas, de uma igreja que desenvolve atividades de evangelização na unidade prisional. A penitenciária Ana Maria do Couto tem 173 mulheres custodiadas.

Participaram também da solenidade servidores da unidade prisional e da Sejudh; diretores da PCE, Revétrio Costa; do CRC, Winkler Teles e Júlio Padilha; ex-diretoras da penitenciária Gisele Araújo e Joadilma Espírito Santo; diretor executivo da Fundação Nova Chance, Luiz Gustavo; juiz da Vara de Exução Penal de Cuiabá, Geraldo Fidélis e a diretora do Sindicato dos Servidores Penitenciário, Jacira Maria da Costa.

 

 

Fonte; Raquel Teixeira | Sejudh-MT

28, novembro, 2018|