Advogado corporativo precisa viabilizar o negócio, diz professor

19/02/2019 – O advogado que atua no departamento jurídico interno das empresas precisa ter mais do que o conhecimento técnico das normas legais. Dentre seus atrativos estão a capacidade de conciliação, a aproximação com o mercado que atua e, principalmente, a viabilização do negócio da empresa. É como avalia o professor e advogado Leonardo Barém Leite, especialista em Direito empresarial.

Segundo Leite, os advogados internos precisam enxergar a área como produtora de custos como todos os outros setores das empresas e saber transformar isso em números e resultados, “para que o que o departamento vire investimento”. Ele exemplifica que o advogado corporativo precisa aprender a correr riscos e tomar decisões, não bastando apontar o “juridiquês”.

“Não adianta só falar que uma Lei X fala isso e que a Lei Y fala aquilo. E a jurisprudência aponta para outra coisa. O empresário quer saber: no final, nós vamos fazer ou não vamos? Qual é o jeito mais rápido, mais barato e mais seguro?”, conta o advogado, que possui experiência nas áreas societárias, contratual, de fusões e Aquisições (M&A), joint venture, mercado de capitais e governança.

Leite atuou na banca estrangeira Sullivan & Cromwell, sediada em Nova Iorque, nos anos 1990. Também foi sócio do escritório Demarest. Com 35 anos de carreira, vai coordenar o curso de extensão em gestão de departamentos jurídicos da Faculdade Armando Alvares Penteado (Faap), que começa nesta terça-feira (19/2).

“Todo o conhecimento e experiência jurídica do profissional precisam ser transformados no que os empresários realmente precisam. O advogado vai usar o saber jurídico, mas deve contextualizá-lo no mundo empresarial e tem que entender de resultados, de gestão de crises, de planejamento estratégico, trabalho em equipe, negociação etc”, diz Leite.

Redação JA

Por; Fernanda Valente – Conjur/ Foto: Reprodução

19, fevereiro, 2019|