Mendes: "Radicais do Sintep não representam Educação de MT"

O governador Mauro Mendes (União) rebateu as críticas do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) à Educação Estadual. Ele considerou que os sindicalistas não representam a educação mato-grossense por trabalharem na “linha da esculhambação”.

 

É que o presidente do Sintep-MT, Valdeir Pereira, afirmou na quinta-feira (08) que a Secretaria Estadual de Educação contratou professores não concursados de outros estados, enquanto os mato-grossenses que fizeram processo seletivo aguardam a atribuição de aulas.

 

Além disso, o sindicato disse que alunos sem a nota necessária para passar de ano estavam sendo aprovados e classificou o secretário Alan Porto como desqualificado para comandar a Pasta.

 

“Aqueles radicais do Sintep não representam a Educação de Mato Grosso. Com gente radical, o governo não conversa. Estamos reorganizando a rede, colocando a quantidade correta de alunos na sala de aula, fazendo gestão e cuidando corretamente do dinheiro público”, rebateu.

 

O sindicato também disse que o Governo não conseguiu organizar o ano letivo de 2024. Sobre isso, Mendes alegou que não há jovens fora da escola e que, se escolas são fechadas, é para que o sistema de ensino seja reorganizado.

 

Ele concluiu dizendo que a gestão dele promoveu uma reestruturação inédita na Educação estadual. 

 

“A linha do Sintep é a da ‘esculhambação’. O Governo não fecha escola, ele reorganiza. Me dê um aluno que está fora da sala de aula. Barulhos foram feitos, mas nunca ninguém mostrou. Se uma escola fecha, haveria centenas, talvez milhares, de alunos fora da sala de aula. Alguém ‘manchetou’ isso? Alguém falou?”,  disse.

 

"Aquilo que Mato Grosso está vendo na qualidade da Educação pública nunca aconteceu antes, porque estamos cuidando bem do dinheiro da educação. Tem dinheiro para construir escolas novas, de qualidade; para colocar tecnologia, dar uniforme e fazer tanta coisa boa", completou. 



Por: ENZO TRES

DA REDAÇÃO Midianews.com/ Foto: Reprodução