Mário Kono chega ao desembargo com foco em decisões objetivas, agilidade e pacificação social

Ao ser eleito desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) nesta quinta-feira (27 de junho), o juiz Mário Kono afirmou que a nova missão traz o sentimento de maior responsabilidade, sem perder de vista a função de servidor público intrínseca à magistratura.

“Estou me sentindo o mesmo de sempre, só com uma nova missão, mas continuo me sentindo um servidor público com as responsabilidades aumentadas. Somos todos servidores públicos, alguns tem uma posição de destaque, mas ao mesmo tempo de maior responsabilidade e é com isso que nós devemos trabalhar, com essa função pública ao qual nós devemos exercer. Não podemos esquecer disso, porque no resto somos todos iguais e continuamos iguais”, disse.

Diante da atuação em 2ª Instância que começará a partir de sua posse, Kono destaca que pretende trabalhar na busca de soluções de conflitos e pacificação social com base em elementos modernos, que possam tornar a justiça mais ágil.

“É uma nova seara que nós vamos trabalhar e ver de que forma podemos realmente trazer pacificação, trabalhar soluções de conflitos e, o que tiver que ser julgado, tentar trazer através da modernidade, através dos sistemas eletrônicos, uma forma de tornar mais ágil. Nós sabemos que nossa justiça, como um todo, não acompanha a evolução das demandas. Vamos ver o que nós conseguirmos pelo menos tentar agilizar”.

Outro ponto destacado pelo desembargador recém-eleito é sua característica de proferir decisões objetivas, dada a vivência dele à frente do Juizado Especial Criminal (Jecrim) de Cuiabá por 20 anos.

“Como nós temos uma larga experiência de juizado, o que vamos tentar fazer talvez não como novidade, mas como nossa forma de serviço, será a objetividade, ou seja, acórdãos curtos, porque o que realmente interessa à parte é o veredicto. Acho que as minhas decisões deverão ser mais objetivas, ou como dizem, mais telegráficas do que didáticas, aquilo que vá dar o resultado para que a pessoa possa colocar em andamento os seus direitos”, projetou.

O presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha destacou o nível técnico dos magistrados inscritos ao cargo à Corte. “Os candidatos que estavam inscritos eram de uma capacidade muito grande, muito boa, o Tribunal de Justiça só tem a ganhar e, consequentemente, o jurisdicionado, porque são magistrados há muitos anos, com experiência, com capacidade, com técnica, dentre os quais se sobressaiu o Dr. Mário Kono. Temos certeza que vai ser mais um nome que ensejará muito sucesso ao Tribunal”, pontuou.

Nesta mesma data, o magistrado terminou seu biênio como juiz substituto no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) – cuja matéria ele também dispõe de ampla experiência, tendo atuado como juiz titular nas 01ª, 13ª, 15ª, 26ª, 38ª, 39ª e 42ª zonas eleitorais e como juiz substituto nas 06ª, 07ª, 15ª, 26ª, 30ª, 31ª, 39ª, 50ª, 51ª e 52ª zonas eleitorais.

Redação JA/ Foto; Assessoria

Por; Mylena Petrucelli / TJMT

27, junho, 2019|