‘Letras dos 300’ uniu diferentes linguagens para homenagear a cultura regional

Difícil passar pelo centro histórico de Cuiabá e não perceber o Palácio da Instrução, prédio centenário e de arquitetura neoclássica. Quem se propõe a conhecer a edificação, que hoje abriga a maior biblioteca pública do Estado, não o imagina como um espaço de festa. Fugindo do senso comum, na noite desta quinta-feira (25.04), o Palácio da Instrução ganhou ares de quintal cuiabano e foi aberto para uma emblemática celebração das artes e da cultura mato-grossense.

O motivo da celebração: 300 anos de Cuiabá, comemorado em 08 de abril, e 271 anos de Mato Grosso, em 09 de maio. Duas datas tão importantes mereciam uma celebração multicultural. E foi assim a festa dos aniversariantes. ‘Letras dos 300’ reuniu exposição de artes plásticas, apresentações musicais, performances artísticas, mostra e feira de livros, declamação de poesia e um jantar cuiabano servido gratuitamente.

A ideia do sarau cuiabano partiu de uma roda de conversa após a comemoração do aniversário da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça, em março. De lá para cá, uma força tarefa foi realizada para viabilizar o evento, que agradou ao ponto de deixar ‘gostinho de quero mais’.

“Para realizar o Letras dos 300 firmamos parceria com artistas e instituições, e isso nos abriu portas para novos projetos. Nosso desejo é fazer uma edição mensal, mesmo que em formato menor, para mantermos esse espaço vivo, com pessoas circulando e oferecendo uma opção de lazer no centro histórico”, comenta a coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas, Waldineia Almeida. Ela ressaltou que eventos como esse são também uma forma de contribuir no processo de revitalização do centro histórico, de valorização da cultura regional e de preservação da memória. “Afinal, biblioteca não é somente lugar de silêncio e pesquisa, é um ambiente de convivência e difusão cultural”.

Este papel foi enfatizado pelo secretário adjunto de Cultura, José Paulo Traven, que prestigiou o evento, e falou da importância dessa apropriação do prédio histórico como um espaço de convivência, lazer, valorização da cultura. “Tivemos um evento plural, que reuniu diferentes linguagens artísticas para um objetivo comum, homenagear a cultura mato-grossense e a nossa memória. É muito importante criar oportunidades para que o público conheça a história da nossa cidade e as diversas manifestações artísticas do nosso Estado”.

Um dos destaques da programação foi a doação do livro ‘Datas Mato-grossenses’, escrito há mais de cem anos pelo historiador Estevão de Mendonça, e que integrava a biblioteca da família do autor. A cessão foi feita pela neta de Estevão de Mendonça, Adélia Maria Badre de Mendonça, e o livro passará a compor o acervo de obras raras da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça.

Uma das atrações artísticas da noite, a cantora Vera Capilé se emocionou ao relembrar a infância. “Eu estudei aqui e hoje estou revivendo histórias. Desde que comecei minha carreira me proponho a levar o sabor da arte para todos os públicos, nossa cultura é de um colorido imenso, e muita gente não sabe. Nós artistas também temos que atuar como difusores da cultura”.

De outro lado, a professora Marília Beatriz de Figueiredo Leite, que foi uma das idealizadoras do evento e colocou a Academia Mato-Grossense de Letras como parceira do ‘Letras dos 300’, ressaltou que é fundamental atribuir modernidade ao edifício histórico e construído no centro da cidade. “Nós temos um prédio centenário, mas que não é um dinossauro. O destino dele é ser contemporâneo. E podemos fazer isso mostrando ao povo que a biblioteca abriga todas as manifestações culturais, é um espaço intertextual e de movimentos democráticos”.

Outra instituição parceira do evento foi o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – Campus Cuiabá Cel Octayde Jorge da Silva, com participação de professores e estudantes de turismo em atividades pedagógicas e alunos de outros cursos como público. Para a estudante Jully Anne Gomes, foi uma oportunidade de aprendizado profissional e pessoal. “Conheci artistas que eu desconhecia, e estar por dentro da cultura local é fundamental para quem atua com turismo”.

A cantora Wanessa Dias ressaltou que momentos assim contribuem para despertar a curiosidade dos jovens a conhecer nossa história. “Trazendo arte e entretenimento para um prédio histórico como o Palácio da Instrução, também valorizamos a cultura da cidade. Esse movimento de realizar um evento e chamar a garotada para conhecer é muito importante. Valoriza nossa cultura”.

Homenageada este mês pela Biblioteca Estevão de Mendonça nas comemorações do Abril do Livro (mês que reúne várias datas comemorativas de literatura), a escritora Neide Silva participou da exposição de livros e lançou ‘Kaike’, quarto livro infantil da autora. “A nossa arte tem vários segmentos e essa integração de linguagens enriquece, agrega. Além de promover acesso ao público para diferentes manifestações, reacende nos artistas a vontade de fazer parte de uma ação simbólica como essa”.

Serviço

O Palácio da Instrução é um dos equipamentos culturais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Está localizado na rua Antônio Maria, nº 251, Praça da República, Centro de Cuiabá. O horário de funcionamento é segunda a sexta, das 8h às 18h. Telefone: (65) 3613-9240.

 

Por; Graciele Leite | Assessoria Secel

– Foto por: Tchélo Figueiredo

28, abril, 2019|