Juvam de Rondonópolis e PM fecham rinha de galo e resgatam 37 aves

20/02/2019 – Trinta e dois galos e cinco galinhas foram resgatados de um barracão onde funcionava clandestinamente uma rinha (espécie de ringue para as aves brigarem). A ação foi realizada pelo Juizado Volante Ambiental (Juvam) e a Polícia Militar de Proteção Ambiental após denuncia anônima. O local fica em uma Chácara na região da Vila Paulista, em Rondonópolis (a 212 km ao sul), o proprietário não foi identificado.

Ainda foram apreendidos 38 gaiolas, remédios, seringas, protetor de esporas e biqueiras. Todo material foi encaminhado ao pátio da 2ª Companhia de Polícia Militar de Proteção Ambiental e as aves apreendidas serão destinadas a depositários nomeados os quais assumirão o compromisso de zelar pelo bem estar delas, sobremodo para que tenham qualidade de vida natural, compatível com a sua espécie.

Por se tratar de aves que são treinadas para o combate, não podem permanecer juntas e, portanto serão destinadas apenas duas espécies para cada depositário, com orientação para que jamais fiquem no mesmo local. Ainda faltam sete aves para serem destinadas, por enquanto estão na Delegacia.

A juíza do Juvam de Rondonópolis, Milene Beltramini, explicou que a prática da atividade de rinha de galo é uma agressão ao meio ambiente, em específico à fauna doméstica, e tem previsão penal no Artigo 32, da Lei Federal nº 9.605/98, pois configura maus tratos. “As brigas de galos expõem as aves a todo tipo de tortura e crueldade, cujos resultados são sempre lesões, mutilações e muitas vezes a morte. Ademais, elas são confinadas em gaiolas e treinadas para depois digladiarem-se”, argumenta.

Redação JA

Por;Alcione dos Anjos/ Juvam

20, fevereiro, 2019|