Juiz TRE-MT Ulisses Rabaneda pediu o compartilhamento de provas das Ações de Investigação Judicial Eleitoral contra Selma Arruda

23/11/2018 – O juiz do TRE-MT Ulisses Rabaneda dos Santos, relator dos autos de prestação de contas da senadora eleita, a ex-juíza Selma Arruda, pediu o compartilhamento de provas das Ações de Investigação Judicial Eleitoral que apuram o suposto caixa 2 praticado por Selma, ao contratar a empresa Genius. O processo tramita em sigilo e caso as provas sejam compartilhadas, serão anexadas à prestação de contas como documentos sigilosos.

Com relação à prestação de contas, Selma havia sido intimada para prestar esclarecimentos, após a Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria (CCIA) pedir a “apresentação dos documentos necessários (contratos, notas fiscais, etc.)”, sobre dois gastos referentes à empresa Genius AT Work Produções Cinematográficas Ltda.

O juiz Ulisses Rabaneda verificou que tramitam na Justiça Eleitoral duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral, que questionam exatamente a regularidade ou não da arrecadação e gastos financeiros efetuados por Selma em relação à empresa. Rabaneda então pediu o compartilhamento das provas.

“Para melhor compreensão da controvérsia, bem como para aferir se a matéria em debate naqueles autos repercute ou não na presente prestação de contas, determino, nos termos do Art. 47 da resolução TSE n.º 23.553/2017, que se oficie ao i. Corregedor Regional Eleitoral solicitando o compartilhamento das provas já materializadas e àquelas que vierem a ser produzidas”.

Caso seja deferido o compartilhamento, a ação, que tramita em segredo de Justiça, será anexada aos autos como documento sigiloso. O magistrado também já deu a autorização à CCIA para analisar os documentos eventualmente compartilhadas.

23, novembro, 2018|