Judiciário em Movimento chega ao ‘Nortão’ em agosto

Em agosto, o projeto Judiciário em Movimento chega a sua terceira edição e atende as regiões de Sinop (500 km ao norte) e Alta Floresta (803 km ao norte). Entre os dias 19 e 24 de agosto diversas atividades de inclusão social, debate com a sociedade, aproximação da Alta Administração com servidores, magistrados e operadores do Direito no interior, além do intercambio de informações, irão ocorrer em Sinop.

Entre as atividades programadas está a audiência pública “Elaboração do Planejamento Estratégico do Poder Judiciário 2021-2026”, que pretende identificar as dificuldades e os anseios da sociedade mato-grossense na busca por um Judiciário mais acessível, célere e eficiente. As discussões ocorrem dentro da programação do projeto Judiciário em Movimento, idealizado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha.

O debate está previsto para ocorrer das 8h às 12h do dia 23 de julho (sexta-feira), no Tribunal do Júri de Sinop. O diretor do Fórum, Cleber Luís Zeferino de Paula, anfitrião do evento, se diz muito feliz e honrado por receber o projeto. “A vinda de toda a comitiva do Judiciário a Sinop representa a consolidação dos avanços que a Comarca vem conquistando ao longo dos anos”, avalia. “Começando lá atrás, em 2014, com a elevação da Comarca para a Entrância Especial, passando pelo curso de ‘Segurança Institucional e Autodefesa’, que acabamos de concluir, culminando com a construção do novo fórum”, cita.

O magistrado informa que todos os colegas da região estão sendo convidados para a semana de atividade em Sinop e a população em geral para a participação nos eventos voltados para o público. “Esta semana teremos reunião com a prefeitura de dois municípios da região e vamos alinhar quais serviços serão oferecidos para a população”, adianta.

Entretanto, Zeferin reforça que todos são bem-vindos à audiência pública e que o Tribunal de Justiça já disponibilizou um link para os interessados em participar como debatedores possam se inscrever no evento. Quer contribuir com o debate? Inscreva-se AQUI. (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeLfzv8DoKipyBx0n1W90EkBYWsyZqn_yrLBW0J4iGPPjnqtQ/viewform)

Outro evento, promovido pelo TJMT, por intermédio da Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) e Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis-MT) e com a parceria da Associação Mato-Grossense de Magistrados (Amam), será a XVII Jornada de Estudos, que tem como público-alvo magistrados das comarcas que integram os polos de Sinop e Alta Floresta. As palestras irão ocorrer nos dias 23 e 24 de agosto (sexta-feira e sábado), no Fórum de Sinop.

O presidente do TJMT afirma que o Judiciário em Movimento começou com o objetivo de reunir em um só local, mais próximo da comunidade, diversas ações que o Poder Judiciário já desenvolve durante todo o ano. “O Judiciário em Movimento atua em quatro frentes ao mesmo tempo. Em uma das frentes, o Judiciário atende a população com serviços como reconhecimento de paternidade, conciliação e mediação, por exemplo. Há ainda a frente de trabalho da qualificação, com capacitações para magistrados e servidores, com a Jornada de Estudos. Também dentro do Judiciário em Movimento realizamos uma audiência pública para ouvir da sociedade quais devem ser as prioridades para o Poder Judiciário nos próximos seis anos. E levamos serviços do Juizado Itinerante”, explicou.

 

Judiciário em Movimento – Nesta terceira edição do Judiciário em Movimento, o projeto atenderá o Polo Judicial III, que engloba as comarcas de Sinop, Colíder, Itaúba, Marcelândia, Cláudia, Terra Nova do Norte, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Ubiratã, Feliz Natal, Vera e Tapurah, e Polo IV (Alta Floresta, Apiacás, Paranaíta, Nova Canaã do Norte, Nova Monte Verde, Guarantã do Norte, Peixoto de Azevedo e Matupá).

A iniciativa já foi realizada nos polos judiciais de Cuiabá, no mês de junho, e de Rondonópolis e Primavera do Leste, em abril.

O projeto do Poder Judiciário se desenvolve em quatro eixos de atuação:

– Audiência pública – para garantir que o cidadão tenha acesso à justiça;

– Jornada de Estudos – para efetivar a integração entre o Poder Judiciário, instituições, entidades e organizações e promover a gestão por competências, garantindo a capacitação continuada;

– Escola Itinerante – com finalidade de garantir confiabilidade, integralidade e disponibilidade das informações, serviços e sistemas;

– Acesso à Justiça – com a realização de atendimentos à população local e implementação de Círculos de Construção de Paz (não conflitivo) com os alunos da rede pública de ensino. No bairro serão realizadas sessões de conciliação e mediação com a participação da Defensoria Pública e a difusão da oficina de pais e filhos.

Por; Alcione dos Anjos

25, julho, 2019|