Governo de MT alega tranferir dinheiro à Justiça, mas burocracia impede que funcionários da Santa Casa recebam

Os funcionários da Santa Casa de Cuiabá ainda não receberam a primeira parcela dos salários que estão atrasados, embora o governo do estado tenha feito o depósito junto à Justiça do Trabalho na quarta-feira (12). Muitos funcionários chegaram a ir até o banco, mas não encontraram o dinheiro, já que existem trâmites burocráticos e o prazo para que o valor esteja efetivamente nas contas dos trabalhadores termina na sexta-feira (21).

No dia 12, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) depositou a primeira parcela, no valor de R$ 3 milhões, referente ao acordo firmado junto ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que objetiva o pagamento gradual dos servidores da unidade filantrópica. Com isso, apenas os pagamentos de junho somarão R$ 6.170.475.75 e o governo terá quitado 70% dos salários em atraso.

Rebatizado de Hospital Estadual Santa Casa, a unidade hospitalar deve ser reinaugurada ainda em junho deste ano, segundo o secretário de Saúde Gilberto Figueiredo.

A unidade de saúde está fechada há três meses por causa da crise financeira. A dívida total da Santa Casa está estimada em R$ 118 milhões.

O estado assumiu a gestão da Santa Casa em maio deste ano. A administração do hospital ficará sob responsabilidade da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) e funcionará, durante um período não informado, como um hospital público estadual.

Com o decreto, o estado assume o controle da Santa Casa e de todos os equipamentos da unidade de forma emergencial e temporária, “com o objetivo de assegurar o atendimento de média e alta complexidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Em novembro do ano passado, os funcionários da entidade filantrópica entraram em greve pela falta de pagamento de salários desde o mês de setembro de 2018.

Em janeiro, o então presidente da instituição, o médico Antônio Preza, renunciou ao cargo por causa da grave crise financeira que o hospital passa.

No dia 11 de março, foram suspensas as internações. À época, a direção do hospital alegou falta de repasse de R$ 3,6 milhões, por parte da prefeitura.

Por sua vez, a prefeitura alegou que a Santa Casa tem uma dívida de R$ 24 milhões com o município. Parte deste montante é referente a cirurgias eletivas não executadas e, outros valores, são devidos em razão de exames e outros serviços não prestados. Fonte; G1 – Foto; Reprodução

18, junho, 2019|