Exemplos de superação, vitalidade e alegria marcaram 4ª Corrida do Bope em Cuiabá

18/02/2019 – Histórias de superação, exemplos de vitalidade, alegria e a integração da Polícia Militar com a sociedade marcaram a 4ª Corrida do Bope (Batalhão de Operações Especial da Polícia Militar). O evento ocorreu na manhã deste domingo (17), em Cuiabá.

Entre os 3 mil atletas profissionais e amadores que integraram a ‘tropa da Corrida do Bope’ estavam personalidades do atletismo e pessoas que, para continuar ou começar a praticar esportes, precisaram e superaram idade, distância e limitações impostas por deficiências físicas.

Maria do Carmo Ferreira, 80, e Cedil Pereira Lima, 92, foram exemplos de vitalidade, alegria e disposição. Amigos de atletismo, mais uma vez se reencontraram e foram destaque na Corrida.

Ela, que gosta de ser chamada de ‘Selvagem’, orgulha-se de ter participado de todas as edições da corrida do Bope e também Corrida Homens do Mato, outro evento da PMMT. “Se não fossem as corridas, a capoeira que jogo e essa minha alegria de viver, certamente não eu teria tanta saúde e disposição”.

Já “Ligeirinho” ou Cleberson Ferreira dos Santos, 29, correu transpondo barreiras físicas e financeiras. Vítima de um acidente em uma rede de alta tensão que o deixou paraplégico, ele gosta de competir e parece ter muito potencial, mas a falta de dinheiro impõe alguns limites.

Este ano, ele treinou e correu sob a assessoria volunária do amigo Paulo Rogério Barcelos, pós-graduando em Neuroeducação. Juntos, também compraram uma cadeira esportiva de atletismo usada e testada nessa corrida. Aliás, ambos ainda estão pagando o equipamento. “Tudo isso para correr, avançar na prática esportiva”, como define Paulo. O esforço valeu a pena, pois “Ligeirinho” foi o primeiro colocado em sua categoria.

Aos 65, Vilma Pereira, ou simplesmente a ‘Mulher Maravilha’, era pura alegria. “Feliz por ter saúde e disposição”, diz como se tivesse saído das telas do cinema. A escolha da vestimenta tem uma história de superação. Depois de parar de correr por quase dois anos por causa de problemas de saúde, prometeu a si mesma que assim que se recuperasse voltaria às pistas como “Mulher Maravilha”. Hoje, cinco anos depois, gosta de ser reconhecida pelo personagem e de ter influenciado os filhos e netos a praticar esportes.

Para o comandante geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, que também correu, é bonito de ver essa alegria e disposição dos participantes. É importante ainda sentir o quanto a comunidade confia nos eventos e nas ações da Polícia Militar.

Assis, que já comandou o Bope, e está no comando geral da PM há menos de dois meses, lembra que um dos seus eixos de trabalho é a aproximação com a sociedade. “Conclamamos que todos confiem, acreditem e sejam parceiros da Polícia Militar”, completa.

Os resultados da 4ª Corrida do Bope podem ser consultados no site: http://www.morro-mt.com.br.

18, fevereiro, 2019|