Especialistas em Pulses e amendoim projetam cenário positivo para cultivo em Mato Grosso

A crescente demanda do mercado nacional e mundial, aliado ao grande potencial a ser explorado no Mato Grosso no cultivo de feijão, pulse e o amendoim, especialistas da cadeia produtiva e representantes de câmaras setoriais se reuniram em Cuiabá para discutir sobre o futuro dos pulses e do amendoim.

 

O presidente Instituto Brasileiro do Feijão e dos Pulses (Ibrafe), Marcelo  Eduardo Luders apresenta esta tendência de crescimento mundial da demanda por feijão e pulses, e cita algumas causas, como o aumento do poder aquisitivo das classes menos favorecidas nos países como Índia e China, destacando o que Mato Grosso necessita para estra preparado para este cenário. “Primeiro precisamos avançar nas pesquisas e com maiores investimentos no setor, paralelamente criar uma câmara setorial ligada ao governo, no caso a Secretaria Estadual de Agricultura e com representantes do setor privado, abrindo assim uma interlocução mais rápida e efetiva com o próprio governo conseguindo desfazer alguns gargalos que naturalmente existem”, disse.

 

Apresentando uma nova opção dentro da cadeia de cultivos especiais, o diretor executivo da Associação de Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir), Afrânio César Migliari projeta as ações necessárias para elevar o amendoim em Mato Grosso a se tornar competitivo no mercado. “A pesquisa é o principal trabalho a realizado, além disso, temos que mostrar ao Governo Estadual as oportunidades e vantagens de produzir este tipo de lavoura, conquistar mercado e ter resultados financeiros satisfatórios em Mato grosso”, explicou.

 

No debate, o amendoim também entrou na pauta da discussão, com o presidente da Câmara Setorial do Amendoim do Estado de São Paulo, Luiz Antônio Vizeu avaliando o potencial inexplorado no Brasil no cultivo do amendoim. “É uma grande oportunidade que o Brasil tem de ampliar suas exportações, tanto de óleo de amendoim, como em grãos. Nós já detemos o pacote tecnológico para produzir a variedade estando entre os três maiores produtores mundiais de amendoim de qualidade, mesmo com nossa cadeia produtiva ainda em desenvolvimento”, concluiu.

O produtor de feijão e sementes, Leandro Lodea destacou a importância deste tipo de evento, para se discutir os rumos da produção e promoção do feijão e cultivos especiais no estado. “Com estas ações o setor ganha mais força, abrindo um canal de comunicação com o MAPA e Secretaria Estadual de Agricultura conseguiremos oficializar esta cadeia. E mesmo Mato Grosso sendo produtor, ainda estamos engatinhando em relação a mercados mais fortes, ocupando apenas 15% do potencial que podemos alcançar no futuro”, finalizou.

 

Por; Cairo Lustoza 

2, abril, 2019|