Escola do Distrito da Guia em Cuiabá recebe Nosso Judiciário

A equipe do Nosso Judiciário teve como destino nesta quarta-feira (16 de outubro) a Escola Estadual Filogonio Correa, no Distrito de Nossa Senhora da Guia (30 Km de Cuiabá). A unidade escolar atende 770 estudantes, dos ensinos fundamental e médio, nos três períodos.

E na palestra, para 130 alunos do 1º ao 3º anos do ensino médio, o coordenador e idealizador do Nosso Judiciário, Neif Feguri Neto, destacou temas relevantes que são abordados em todas as instâncias da esfera judicial através de ações criminais e cíveis. Além de pontuar sobre a organização e o desenvolvimento do trabalho no Poder Judiciário mato-grossense, Neif explicou como é realizado o trâmite processual nas 79 Comarcas e no Tribunal de Justiça.

Yara Aparecida Santana da Silva, 17 anos, aluna do último ano do ensino médico, ficou encantada com as informações sobre a Justiça estadual. “Aprendi muito, principalmente sobre a abrangência do Judiciário. E o que mais me chamou atenção foi a parte sobre crimes cibernéticos”, disse Yara, lembrando que a Justiça é acessível a todos.

O colega de Yara, Guilherme Josevan Trindade, 16 anos, também aprovou a palestra. “Não imaginava que a Justiça que as ações fossem tão diversificada. E cada caso tem encaminhamento diferenciado. Isso é organização”, revelou Guilherme, reafirmando que aprendeu muito.

Para a diretora do colégio, Joelma Adriana Teixeira, a visita do projeto serve de estimulo aos estudantes. “Essa turma, agora, aprendeu em quais situações a Justiça pode e deve ser acionada, justamente porque ficou claro como é realizado o trabalho, que também oferece serviços à população”, sinalizou.

A Escola Filogonio Correa recebe do Tribunal de Justiça papéis A4, tamanho ofício, com impressão de um lado, para reutilização. E esse material, de acordo com Joelma, é usado em atividades pedagógicas. Essa parceria, com o Núcleo Socioambiental do TJ, segundo a diretora, além de ser útil no processo de ensino-aprendizagem, desenvolve o processo de consciência ambiental e de sustentabilidade das crianças e adolescentes.

Por; Álvaro Marinho

Coordenadoria de Comunicação do TJMT

17, outubro, 2019|