Equipe do Indea iniciaram o trabalho de captura de morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva dos herbívoros

18/12/2018 – A unidade do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT) de Alta Floresta, recebeu na última sexta-feira (07.12), uma notificação de possível doença nervosa em um bezerro recém-nascido, com pouco mais de 30 dias de vida. No mesmo dia, a equipe realizou a visita na propriedade, coletou material para exame e encaminhou para análise no Laboratório de Apoio à Saúde Animal (Lasa/Indea-MT).

Na segunda-feira (10.12), com a confirmação laboratorial de raiva, os animais da propriedade, 1.048 bovinos e quatro equinos, foram vacinados contra a doença. Equipes do Indea estão visitando cerca de 200 propriedades localizadas num raio de 12 quilômetros do local onde foi registrado o foco. Os bovinos e equídeos dessas propriedades também devem ser vacinados contra a raiva.

As equipes também iniciaram o trabalho de captura de morcegos hematófagos, principal transmissor da raiva dos herbívoros, para reforçar o controle da doença na região.

Em 2016 foram registrados 35 focos de raiva em Mato Grosso. No ano de 2017 46 focos. E em 2018, contabilizando com este último, somam 21 focos.

Raiva dos herbívoros

A raiva dos herbívoros é uma doença causada por um vírus da família Rhabdoviridae, gênero Lyssavirus, sempre fatal. Acomete todos os mamíferos domésticos e silvestres. É uma zoonose, portanto, pode acometer o homem. O principal transmissor da raiva é o morcego hematófago (vampiro). O morcego doente elimina o vírus pela saliva quando se alimenta do sangue dos animais.

É Importante que o produtor observe diariamente, pela manhã, se os animais apresentam mordedura. Caso tenham sinais de modedura, informar ao Indea e solicitar o controle dos morcegos. O atendimento é gratuito. A captura do Desmodus rotundus é extremamente importante para o controle da raiva, pois evita a transmissão do vírus rábico em outras colônias de morcegos e o aparecimento da doença em novas regiões.

Para que tenhamos o controle efetivo da raiva é necessário realizarmos o controle da população de morcegos e a vacinação dos animais.

É importante que os produtores fiquem atentos aos sintomas da raiva no animal, que pode apresentar apatia, isolamento do restante do rebanho, agressividade, andar cambaleante, opacidade de córnea, dificuldade para engolir líquidos, dificuldade de defecar (fezes ressecadas), e paralisia dos membros. Ao se deparar com esse quadro deve-se procurar uma unidade local do Indea.

Orientações

Ao vacinar o rebanho contra a raiva, é importante que o produtor comunique ao Indea. E em caso de suspeita de um animal acometido pela doença é necessário tomar algumas medidas, como informar imediatamente o Indea do seu município ou notificar pelo telefone 0800 65 3015, nunca manipular o animal, isolar o animal do restante do rebanho. No caso de mordedura no homem ou contato com animais suspeitos, lavar o ferimento com água e sabão, e procurar o Serviço de Saúde imediatamente.

Por; Dayanne Santana | Indea-MT

18, dezembro, 2018|