Encontro sobre sustentabilidade de órgãos previdenciários busca sanar dúvidas e apontar soluções

O impacto da reforma da previdência social e a sustentabilidade dos órgãos previdenciários municipais e do Estado estão em debate neste, 29/10, com a presença de mais de 600 inscritos. Organizado pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) e pela Associação das Entidades de Previdência existentes no Estado, o 7º Encontro prossegue até a quinta-feira, 31/10 e visa sanar dúvidas e apontar soluções para gestores e demais operadores do sistema previdenciário mato-grossense – o Estado conta com 106 unidades de regime próprio de previdência, responsáveis pela seguridade social dos servidores estaduais e municipais.

A realização desta sétima edição e a riqueza da programação demonstram o tamanho da preocupação do TCE-MT com a sustentabilidade dos RPPS”
________
RONALDO RIBEIRO
 | Conselheiro substituto junto à presidência  

Responsáveis pela coordenação do 7º Encontro, o conselheiro substituto Ronaldo Ribeiro de Oliveira e a presidente da Apemat, Luana Piovezan, comemoraram a maciça presença do público que lotou o auditório do Centro de Eventos do Hotel Mato Grosso. “A realização desta sétima edição e a riqueza da programação demonstram o tamanho da preocupação do TCE-MT com a sustentabilidade dos RPPS”, disse Oliveira. Ele representou o conselheiro presidente Gonçalo Domingos de Campos Neto na solenidade de abertura.

Já Luana Piovezan também fez questão de destacar a importância da parceria estabelecida entre a entidade que representa os órgãos previdenciários e o órgão de controle e fiscalização, notadamente na orientação e capacitação em um momento tão delicado de reforma da previdência. “A reforma vai provocar uma grande mudança de comportamento dos RPPS”, disse a dirigente.

  O 7º Encontro de Gestores de RPPS de MT prossegue até a quinta-feira, 31/10

 

 

 

 

 

 

 

 

Também presente na abertura do evento, o corregedor geral do TCE-MT e conselheiro interino Isaias Lopes da Cunha disse que a previdência social precisa ser encarada como “um patrimônio dos servidores públicos e a sua gestão tem que ser sinônimo de responsabilidade, ética e profissionalismo”. Já o superintendente da Escola Superior de Contas, conselheiro interino Moisés Maciel, destacou a relevância do evento por tratar de um tema ligado a direito fundamental estabelecido na Constituição. “Todos que trabalham visam um dia a aposentação e a sustentabilidade dos RPPS é fundamental para que isso ocorra”, ponderou.

 

Programação

O 7º Encontro de Gestores de Regimes Próprios de Previdência Social do Estado de Mato Grosso contou com duas palestras nesta terça-feira. Sobre o “Impacto da Reforma da Previdência na Gestão Pública”, feita por Magadar Briguet, consultora jurídica da Associação Brasileira de Institutos de Previdência Municipais (Abipem), e “Controle e Estruturas de Governança do RPPS”, feita pelo conselheiro interino Ronaldo Ribeiro de Oliveira.
Na quarta-feira, 30/10, no centro de eventos do Hotel Fazenda Mato Grosso, o 7º Encontro será aberto às 8h30, com palestra com o tema “Reflexos das alterações legais no perfil atuarial dos RPPS, a partir de 2020”, a ser feita por Wilma Torres, atuária no Grupo de Estudos das alterações previdenciárias, e pelo secretário chefe da Secretaria de Controle Externo de Previdência do TCE-MT, auditor Eduardo Berjoino.

No período da tarde, os inscritos terão à disposição três selas para oficinas, onde serão tratados os seguintes temas: “Concessão de Benefícios Previdenciários”, “Reformas Políticas e o retorno na carteira de investimentos”, “Critérios de Governança essenciais na gestão de RPPS”, “Reforma da Previdência e as Regras de Aposentadorias”, “Aspectos fundamentais na análise dos produtos de investimentos” e “A contabilidade na gestão dos RPPS e o Sistema Aplic”.

Na quinta-feira, 31/10, o evento será apenas no período da manhã, com três palestras: “Atuação da CVM na fiscalização financeira”, a ser ministrada pelo superintendente da Comissão de Valores Mobiliários Daniel Walter Maeda Bernardo, “Radar Previdência”, por Eduardo Berjoino, e “Os Rumos da nova previdência e as responsabilidades legais”, pelo subsecretário de RPPS da Secretaria de Previdência Social do Ministério da Economia Alléx Albert Rodrigues. Com informações Assessoria Imprensa TCE

 

 

31, outubro, 2019|