Encontro nacional: Tribunal de Justiça reúne representantes dos estados para debater a violência doméstica

O Poder Judiciário de Mato Grosso realiza, nos dias 26 e 27 de setembro, o I Encontro do Colégio de Coordenadores da Violência Doméstica do Poder Judiciário Brasileiro (Cocevid). O evento, que pretende receber representantes de todos Estados, será na Escola dos Servidores, Escola Superior da Magistratura de Mato Grosso (Esmagis) e Auditório Gervásio Leite. Todos ambientes são na sede do Tribunal de Justiça, em Cuiabá.

O evento começa no dia 26 de setembro, no período da tarde, com a visitação à exposição dos trabalhos das coordenadorias, em que cada estado divulgará casos de sucesso no combate à violência doméstica contra a mulher. A cerimônia de abertura será às 19 horas, no auditório Desembargador Gervásio Leite, com a presença das conselheiras do CNJ, Maria Cristiana Simões Amorim Ziouva e Maria Tereza Uiles Gomes.

No segundo dia (dia 27), a desembargadora Priscila Placha de Sá, do Tribunal de Justiça do Paraná fará palestra para tratar da perspectiva judicial da igualdade de gênero. Na sequencia, a desembargadora Lenice Bodstein, do Tribunal de Justiça do Paraná conduz os trabalhos sobre a gestão das coordenadorias estaduais da mulher em situação de violência doméstica, mostrando as experiências dos estados do Paraná, Maranhão e Acre. No período da tarde, a desembargadora Daisy Maria de Andrade Costa Pereira, do Tribunal de Justiça de Pernambuco e vice-presidente do Cocevid vai tratar dos projetos nacionais no enfrentamento da violência doméstica. Ao final do evento será elaborada a Carta de Cuiabá.

O Colégio de Coordenadores foi criado com o objetivo de desenvolver ações estruturantes para o enfrentamento da violência doméstica dentro do país. Segundo a desembargadora Maria Erotides Kneip, responsável pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (Cemulher) e presidente do Cocevid, todas as coordenadorias desenvolviam, até então, ações isoladas e a partir de agora acredita-se que ganharão mais corpo com o compartilhamento de informações.

“Socializar o êxito dos projetos e avançar. A partir disso podemos fazer ações melhores no país. As vezes os projetos desenvolvidos dentro de um Estado podem ser realizados em outros lugares com o mesmo sucesso, levando-se em considerações apenas as questões regionais e é isto que pretendemos. Avançar da melhor maneira na solução para os problemas que temos em comum”, pontuou a desembargadora.

Confira AQUI a programação do evento.

http://encontrococevid.tjmt.jus.br/#!info

Por; Ranniery Queiroz

17, setembro, 2019|