Desembargadora destaca proximidade com sociedade

18/12/2018 – O fortalecimento dos laços e proximidade com a sociedade, o alcance de metas do Poder Judiciário de Mato Grosso e a continuidade do alinhamento com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foram alguns dos pontos destacados pela vice-presidente eleita para o próximo biênio (2019/2020), desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas, durante entrevista coletiva com a imprensa na sexta-feira (14 de dezembro). O bate papo com o jornalistas ocorreu no Plenário 1 do Tribunal de Justiça onde a diretoria da nova gestão apresentou as diretrizes para os próximos dois anos e também a equipe de trabalho.

 “Estamos começando uma nova gestão e queremos deixar claro a nossa proposição em estabelecer uma ponte firme e robusta com a sociedade. Não podemos viver reclusos sem dialogar com o jurisdicionado. Nossa intenção é conversar com franqueza e estamos abertos para isso”, disse a desembargadora.

 A magistrada disse que a coletiva teve propósito de aproximar ainda mais o judiciário e a imprensa e segundo ela, essa é mais uma prova que o Judiciário prima pela transparência. “Os desembargadores Carlos Alberto, Luiz Ferreira e eu fizemos questão de fazer essa coletiva, de dizer aos senhores que nós queremos e precisamos dessa parceria com a imprensa nesse projeto de abertura com o tribunal para que vocês possam mostrar que estamos a serviço da sociedade”, falou.

 A Vice-Presidência do TJMT possui atribuições constitucionais específicas e bastante técnicas, entre elas a análise de admissibilidade de recursos e que colaciona jurisprudências de recursos repetititvos. Porém, na nova gestão, Maria Helena Gargaglione Póvoas afirmou que pretende participar de iniciativas as quais mencionou como louváveis com outros setores da administração, a exemplo da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (Cemulher).

 “A desembargadora Maria Erotides Kneip tem desenvolvido um trabalho belíssimo com as mulheres vítimas de violência doméstica. Pretendo me engajar nesse trabalho, sem prejuízo nenhum das nossas atribuições da Vice-Presidência. Pretendo agregar a esse trabalho e me doar para que ele seja ampliado”, afirmou.

 Para o próximo biênio a futura vice-presidente do TJMT disse que um dos objetivos é a colaboração para a nova ‘roupagem’ que a diretoria eleita pretende dar ao tribunal, além da continuidade dos trabalhos. “Espero corresponder a confiança que tive dos meus pares quando indicaram  meu nome para ocupar tão honroso cargo. Espero também colaborar com essa nova era que estamos propondo, de ser um tribunal aberto, que dialoga com a sociedade. Pretendo dar continuidade ao belo trabalho que a desembargadora Marilsen Addario e os antecessores fizeram na Vice-Presidência, de impulsionar ainda mais os processos”, finalizou.

 A nova diretoria tomará posse no próximo dia 19, às 15h, no Plenário 1 do Tribunal de Justiça.

 

Por; Dani Cunha/ Foto; Reprodução

18, dezembro, 2018|