Desembargador Rondon Bassil julgara processo criminal contra promotor de Justiça Marco Aurélio de Castro

O processo contra o promotor de Justiça Marco Aurélio de Castro, ex-coordenador do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) que está sendo acusado de quebrar o sigilo de uma interceptação telefônica, foi distribuído por sorteio durante a quinta-feira (17) ao desembargador Rondon Bassil Dower Filho.

O caso tramitará no Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Além da denúncia criminal, o Ministério Público afirmou que o caso está sendo examinado na Corregedoria, podendo gerar penalizações funcionais.

Denúncia é assinada pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira, e pelo coordenador do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) Criminal, Domingos Sávio.

Conforme a informado, Marco Aurélio, então coordenador do Gaeco, quebrou segredo da Justiça, repassando a terceiros não identificados áudios captados em interceptação de comunicações telefônicas à qual teve acesso em razão do cargo que ocupava.

Na ocasião da Operação Ouro de Tolo, contra a ex-primeira dama Roseli Barbosa, o desembargador Marcos Machado teve conduta questionada após divulgação de uma escuta telefônica com Silval Barbosa.
Segundo o site Olhardireto, os áudios obtidos junto ao Ministério Público foram expostos pela TV Centro América. A reportagem veiculou um diálogo suspeito entre as partes, gerando especulações sobre possível favorecimento.
Redação JA/ Foto; Repodução
18, outubro, 2019|