Depoimento de Gerson será enviado ao STJ para análise

28/08/2018 – O promotor Allan do Ó, da 11ª Vara Criminal Militar de Cuiabá, pediu que o depoimento dado pelo cabo Gerson nesta segunda-feira (27) seja enviado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que seja feito o fatiamento do processo, para a separação dos crimes competentes à Justiça Militar.

Ele ainda disse que com relação aos crimes de grampo e associação criminosa, que não são de competência da Justiça Militar, é o STJ quem deve analisar se caberá um acordo de colaboração premiada com Gerson.

Em seu depoimento o cabo Gerson fez diversas acusações contra o ex-chefe da Casa Civil Paulo Taques e contra o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).  Ele detalhou como era feita a ilícita quebra dos dados telefônicos e a prática de barriga de aluguel.

Além disso ele mencionou a criação de um escritório onde funcionaria o núcleo clandestino de inteligência. A defesa de Gerson afirmou que é o Ministério Público quem deve avaliar uma possível delação premiada com relação a estes crimes apontados.

“Ele não pediu privilégio, não está pedindo privilégio, se o Ministério Público quiser dar porque ele entende que assim tem que ser, ótimo, mas não porque ele pediu. E a delação é em relação a outros fatos, que aí não são objeto deste caso [crimes militares], dos outros fatos ainda não há denúncia”.

28, agosto, 2018|