Democracia brasileira precisa ser defendida de extremismos, diz Lamachia

14/09/2018 – Em discurso na cerimônia de posse do ministro Dias Toffoli na Presidência do Supremo Tribunal Federal, o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, Cláudio Lamachia, destacou a luta contra a corrupção para garantir a aplicação das leis. E lembrou que a democracia brasileira é incipiente e precisa ser defendida de extremismos.

“Quando algumas autoridades se distanciam da ética, o mau exemplo inevitavelmente chega a todas às camadas da sociedade. Espalha-se como metástases. E isso lamentavelmente ocorreu”, afirmou.

A corrupção não seria, no entanto, a única ameaça ao país. Para ele, não faltam “forças obscuras” empenhadas em sabotar a democracia. “E a maior delas é a radicalização, a ação dos extremismos, a apologia do ódio e da violência, sejam de esquerda ou de direita”, disse.

Lamachia pontuou que a democracia brasileira ainda está em um estágio inicial e reclama o que chamou de cuidados intensivos, sob pena de não vingar. “O insumo essencial, neste momento, é o da moderação, do equilíbrio.”

Em momento de corrida eleitoral, ele também defendeu um olhar atento para o processo. “Estamos a menos de um mês das eleições e o ambiente em que a campanha transcorre nos preocupa”, pontuou, lembrando o ataque ao candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro.

Os ânimos, diz, se acirraram e estão em temperatura que precisa baixar. “A Justiça tem procurado cumprir seu papel, em meio a um ambiente que não favorece sua missão: ânimos exaltados, manipulação do descrédito popular em relação às instituições, luta de facções.”

O presidente da OAB ainda citou o caso da advogada detida em Duque de Caxias (RJ), classificando de “inaceitável caso de violação das prerrogativas”, para defender o projeto de lei que criminaliza a violação às prerrogativas. O PL é motivo de críticas por parte das carreiras da magistraturas.

Clique aqui para ler o discurso.

14, setembro, 2018|