Debate sobre inclusão da dislexia na educação em MT ganha reforço de Promotoria de Cidadania

18/09/2018 -A luta pela inclusão dos disléxicos na educação ganha novo reforço com o apoio do promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Junior, da 8ª Promotoria de Justiça de Cidadania de Cuiabá. A conquista foi assegurada nesta terça-feira (16 de outubro) durante a “I Mesa de Discussão sobre os Direitos da Pessoa com Dislexia em Mato Grosso” promovida pela Escola Superior do Ministério Público (FESMP-MT) e a Associação de Dislexia, em parceria com o MPMT.

O diretor da Fundação Escola, Joelson de Campos Maciel, afirmou que o convite ao colega se deve pela sua atuação em outras lutas como a dos direitos dos autistas. Ele viu a necessidade de contribuir com a causa já que a estimativa da Associação é de que haja aproximadamente 300 mil disléxicos no estado e muitos não sabem.

“A Promotoria pode pedir a regulamentação de normas ainda não aplicadas no estado. A Associação de Dislexia pode nos trazer essas demandas que são coletivas e não individuais e, assim, podemos atuar”, garantiu Miguel Slhessarenko Jr.

O evento teve a explanação da advogada da Associação Brasileira de Dislexia (ABD), especialista em Direito Educacional, em Direito das Famílias e Sucessões, e mãe de disléxico, Simoni Lopes de Sousa. Ela traçou um histórico sobre as garantias dos direitos das pessoas com deficiência no mundo e abordou a obrigatoriedade da educação inclusiva no Brasil, além de apontar os documentos e laudos necessários para que essas garantias sejam efetivadas junto às instituições de ensino.

Autoridades e convidados presentes

Participou do evento o deputado estadual Wilson Santos, autor da lei 10.644/2017, que institui o atendimento especializado nos Concursos Públicos e Vestibulares realizados para as pessoas com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) e Dislexia no estado. Em Mato Grosso existem também as leis 10.637/2017, que institui a semana de identificação e conscientização sobre a Dislexia; e 10.626/2017, que institui a Política de Aprendizagem no estado.

Também estavam presentes a procuradora de Justiça, Naomi Nilza de Melo; a vice-presidente da Associação de Dislexia de MT, Patrícia Ribeiro de Almeida e a diretora Gabrielle Andrade; o professor doutor da Faculdade de Psicologia da UFMT, Rauni Alves, que estuda essa área; a presidente da Apae Cuiabá, Sílvia Artal; as representantes da MT Mamma, Juci Ribeiro, e do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Gonçalina Romano.

Sintomas e o que é a dislexia :

Muitas pessoas têm dificuldades com o aprendizado da leitura e da escrita, são consideradas “lentas ou burras” nas escolas, têm algum tipo de atraso no desenvolvimento da fala e da linguagem, confusão com esquerda e direita, dificuldade em copiar de livros ou da lousa e podem
ter dislexia.

A Dislexia é um transtorno de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração, conforme a International Dyslexia Association (IDA).

O diagnóstico é feito por meio de avaliações multidisciplinares, ou seja, são necessários profissionais de várias áreas e quanto mais cedo, melhor para buscar a adaptação dos processos de aprendizagem e tratamento. Clique aqui para saber mais.
http://www.dislexia.org.br/o-que-e-dislexia/

Assessoria de Imprensa FESMP

18, outubro, 2018|