CNMP apresenta Água para o Futuro à diretoria do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente

A presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Raquel Dodge, apresentou o “Água para o Futuro” à diretora-executiva do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Inger Andersen, nesta sexta-feira (26 de julho), em Nairóbi, no Quênia. O projeto é uma iniciativa do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) que busca garantir segurança hídrica e o abastecimento de água potável por meio da identificação, preservação e recuperação de nascentes no estado, e que já foi expandida para outras 17 unidades da federação. A ideia agora é levar o aplicativo, que consolida o mapeamento e a proteção de nascentes, para outros países.

Um acordo de cooperação firmado entre o CNMP e o MPMT em outubro de 2018 permitiu que outros estados pudessem ser beneficiados e passassem a utilizar a ferramenta. Para a procuradora-geral da República do Brasil e presidente do CNMP, a atuação em defesa do meio ambiente enfrenta diversos obstáculos e dificuldades, mas ações como o desenvolvimento do aplicativo mostram que muitos resultados positivos já foram alcançados.

Segundo o promotor de Justiça e coordenador do projeto, Gerson Natalício Barbosa, a crise hídrica que assola centenas de municípios no país e ameaçava Cuiabá foi o ponto de partida para o desenvolvimento e implantação do “Água para o Futuro” em 2015. “Quando o projeto foi concebido não havia uma base de dados consistente. Buscamos, então, a união do conhecimento científico com a resolutividade do Ministério Público. Construímos uma base de dados confiável e fizemos o uso de tecnologia de ponta que permite identificação e monitoramento de nascentes”, explicou.

Ontem (25 de julho), a secretária de Direitos Humanos e Defesa Coletiva do CNMP, Ivana Farina, que acompanha Raquel Dodge no Quênia, também falou sobre o “Água para o Futuro” durante painel com especialistas, realizado na sede do Pnuma. Ivana detalhou os projetos implementados pelo CNMP que têm o foco ambiental, abordando inclusive a inciativa mato-grossense.

(Com informações da Secretaria de Comunicação Social do CNMP | Foto: CNMP)

 

28, julho, 2019|