Carlos Alberto Alves da Rocha discute modernização do Poder Judiciário em São Paulo

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, participa em São Paulo do encontro do Conselho de Presidentes de Tribunais de Justiça, que se reúne periodicamente para discutir práticas de modernização do Poder Judiciário estadual. Durante estes encontros os presidentes dos tribunais compartilham experiências, conhecem inovações em gestão pública e discutem soluções para os principais desafios da Justiça Estadual.
A cooperação institucional promovida pelo Conselho de Presidentes abrange setores como planejamento, gestão, tecnologia da informação, recursos humanos e relacionamento do Poder Judiciário com a sociedade, dentre outros.
Mato Grosso reduz estoque de processos e avança na modernização – O desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha ressalta a importância da colaboração entre as instituições, para vencer os desafios impostos ao Poder Judiciário, em uma sociedade cada vez mais adepta do litígio. Em Mato Grosso uma média de 450 mil a 500 mil novos processos são protocolados a cada ano. Ainda assim, o Poder Judiciário conseguiu registrar importantes avanços na redução do estoque de processos, conforme registro do relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça.
“O Poder Judiciário de Mato Grosso avançou muito na boa gestão de seus recursos humanos e financeiros. Investimos maciçamente em tecnologia e em capacitação, e implantamos o Processo Judicial Eletrônico em praticamente todo o Estado. Nos últimos cinco anos conseguimos reduzir drasticamente a taxa de congestionamento de processos, que caiu de 80% para 66,1% em 2017 e deve cair ainda mais, com algumas medidas que estamos implantando”, disse o desembargador.
Ao reduzir a taxa de congestionamento, o Poder Judiciário reduz seu estoque de processos, o que significa que está julgando mais ações do que as que são protocoladas a cada ano, um dos principais mecanismos para medir a eficiência dos serviços prestados ao cidadão.
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
24, fevereiro, 2019|