Caminhão da Justiça Comunitária inicia atendimentos durante Araguaia Cidadão

Aos 83 anos, seo Antônio Neres de Souza, morador da cidade de Alto Araguaia, município a 418km a sul de Cuiabá, apresenta grandes desafios de saúde. Além de ter uma das pernas amputadas, consequência – conforme conta o irmão dele, Serafim Neres de Souza – de uma erisipela, o idoso apresenta problemas na visão. Apesar de já ter passado por uma cirurgia de catarata há três anos, seo Antônio, que é cadeirante, não está enxergando direito. Ele aproveitou a oportunidade, na terça-feira (13 de agosto), de se consultar gratuitamente com oftalmologista durante a expedição Araguaia Cidadão, no campus da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

 

O idoso foi um dos primeiros pacientes a serem atendidos no novo caminhão do programa Justiça Comunitária, que pela primeira vez marcou presença numa ação social voltada à comunidade. “Esse caminhão nós ganhamos da UFMT (Universidade Federal de Mato Grosso), num termo de parceria. Ele ficou seis anos parado. Eu, pelo Ribeirinho Cidadão, buscando parcerias, sabia que havia esse caminhão. Fui falar com a Elisabeth Mendonça, do Hospital Júlio Müller, que me disse que iriam desmontá-lo e perguntou se nós não o queríamos. Fui lá ver o caminhão e está novinho, com seis mil quilômetros rodados, com tudo dentro do melhor, tecnologia de ponta. Fizemos um termo de cessão e hoje esse caminhão vai acompanhar a Justiça Comunitária nos rincões do Estado, onde houver a Justiça Comunitária, onde tiver ações sociais”, revelou o coordenador da expedição Araguaia Cidadão, juiz José Antonio Bezerra Filho.

 

Conforme conta o magistrado, ao apresentar a ideia ao presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, de pronto, aceitou a proposta e o termo de parceria foi firmado. “Na mesma hora assinou o termo de parceria, e o caminhão está à nossa disposição. Peguei, mandei lavar e colocamos os banners. São seis anos parado e agora volta a funcionar no Araguaia Cidadão. Por enquanto, estamos oferecendo dentro dele as consultas oftalmológicas. Quero, no mínimo, oferecer 200 consultas em Alto Araguaia. Temos também aqui a outra parte com armações, em que estamos oferecendo 200 armações com confecção de óculos pelo Poder Judiciário”, completa o juiz José Antônio, ressaltando que pretende levar o caminhão em todas as cidades onde houver asfalto e acessibilidade durante a expedição, como em Pontal do Araguaia (477,5km a leste da Capital). 

 

Presente à solenidade de abertura do Araguaia Cidadão, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha conheceu o veículo e visitou pessoalmente as instalações. “O Judiciário deixou de ser só aquele protagonista de solução de conflitos. Temos buscado, dentro das nossas possibilidades, prestar um outro serviço agregado ao nosso essencial, que é julgar os conflitos. Se nós estamos aqui solucionando conflitos, por que não prestar um outro serviço à população, como esse de oftalmologia e tantos outros que a gente agrega? Tentamos trazer não só o trabalho que é nosso, do Judiciário, mas alguns do Executivo, tanto municipal quanto estadual. Hoje a população tem visto o Poder Judiciário se movimentando nesse sentido”, observou o presidente do TJMT.

 

Aproveitando a visita, o desembargador afirmou que nessa terça-feira foi plantada uma semente para 2020. “O sucesso é tanto que representa uma semente lançada para o ano que vem. Nessa mesma época estaremos aqui para uma segunda edição”, antecipou.

 

Quem ficou feliz com a notícia foi seo Serafim Souza, o irmão de seo Antônio. “É um serviço muito bom. Como no caso dele, que tem dificuldade de se locomover, se o médico vem aqui, ajuda muito. Seria muito bom se o caminhão voltasse. Ir para Cuiabá é muito custoso e ele já não está mais enxergando. Foi a primeira vez que vim nesse tipo de serviço e hoje o atendimento foi muito bom. Só espero que venham mais vezes”, comentou.

 

Serviço – A expedição Araguaia Cidadão teve início nessa terça-feira (13 de agosto), na cidade de Alto Araguaia, onde permanece até quarta-feira (14 de agosto), com oferta de variados serviços de cidadania, médicos e jurídicos. As atividades seguem até 21 de agosto e, nesse período, a comitiva visitará outros cinco municípios: Araguainha, Ponte Branca, Ribeirãozinho, Torixoréu e Pontal do Araguaia. As atividades foram organizadas pelo programa Justiça Comunitária, coordenado no Estado pelo juiz José Antônio Bezerra Filho e em Alto Araguaia pela juíza Marina Carlos França.

 

Por; Lígia Saito (texto e fotos)

Coordenadoria de Comunicação do TJMT

14, agosto, 2019|