Adiado para quarta-feira (12) julgamento de Selma Arruda, pedido de suspeição contra o desembargador Pedro Sakamoto

A senadora Selma Arruda (PSL-MT) ingressou com exceção de suspeição do desembargador Pedro Sakamoto, do Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso. Ele é relator de ação em que a senadora é acusada de caixa dois e abuso de poder econômico. Ela o acusa de ter vazado seu voto para sete veículos de comunicação. O voto é pela cassação do mandato de Selma Arruda, segundo foi noticiado.

O julgamento da ação que pode culminar na cassação do mandato da senadora Selma Arrruda (PSL). A solicitação partiu da defesa dela e argumentava que o magistrado teria antecipado sei voto à imprensa.

A decisão de adiar o julgamento foi unânime, na sessão,Isso porque os desembargadores entenderam que não havia o quórum de 100% dos magistrados, sendo que na próxima quarta-feira será feita a convocação de um substituto.

O parecer do Ministério Público Eleitoral foi pela improcedência do pedido de Selma, mas o relator do caso, juiz membro Jackson Coutinho pediu um dia a mais para preferir seu voto sobre a situação.

Durante a sessão, o desembargador Pedro Sakamoto se defendeu da acusação dizendo que jamais concedeu entrevistas antecipando seu voto. “Eu não tenho absolutamente nada contra essa senhora ou em favor dela”, disse.

 

Da Redação JA

Foto; Assessoria

 

9, abril, 2019|