Acessibilidade: desembargadora visita cartórios

A Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do Poder Judiciário de Mato Grosso representada por sua coordenadora, desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho e a assessora Fátima Regina Félix, visitou o Cartório do Terceiro Ofício em Cuiabá. O objetivo é levantar dados sobre a facilidade de trânsito e chegada até cada unidade externa.

O Cartório do Terceiro Ofício é responsável por registrar nascimentos, casamentos, óbitos, interdições e tutelas. O movimento é grande, mas segundo os responsáveis o número de atendimento não ultrapassa os 10 cadeirantes por mês, outros portadores de necessidades especiais quase não utilizam os serviços naquele local.

A cartorária Abadia de Barros Maciel Lemos dos Santos explicou que o atendimento a este público já pode ser considerado especial. “Aqui estamos em um prédio antigo. A proprietária deveria fazer muitas reformas para atender a legislação atualizada, mas independente disto vamos até as pessoas. Já chegamos a ir na casa de um e fazemos o atendimento no carro se for o caso. Sempre procuramos atender com prioridade. Eles gostam desse diferencial”, revelou a cartorária.

A desembargadora observou a facilidade no acesso, como rampas e indicações e visitou todos os cômodos da unidade cartorária. “Este cartório tem rampas em locais estratégicos como a entrada/saída e banheiros. Mas não é apenas isso que verificamos. Olhamos o local onde estão instalados. O fato de estar no Centro facilita a chegada também. Linhas de ônibus de bairros periféricos chegam aqui, outro fato são os estacionamentos. Também indicamos que eles sejam oferecidos de forma gratuita, o que facilita o acesso”, destacou a coordenadora da comissão especial.

Outros cartórios também serão visitados. As unidades judiciárias também passam pela revisão e atualização por parte da comissão que trabalha para cumprir a Resolução nº 230/2016 do CNJ, que pretende assegurar à pessoa com deficiência acesso a produtos, recursos, estratégias, práticas, processos, métodos e serviços disponibilizados pelo Poder Judiciário.  A juíza Marilza Aparecida Vitório, da 2ª Vara Criminal de Várzea Grande também compõe a comissão. Ela representa o Primeiro Grau.

 

Por; Ranniery Queiroz

Foto; Reprodução

9, setembro, 2019|