2º Colóquio: Pesquisadora debaterá porque pessoas ou grupos são mais vulneráveis à violação de direitos humanos

Uma inquietação acerca do que leva pessoas e grupos a serem mais vulneráveis à violação de direitos humanos permeará o 2º Colóquio “A lógica da violação seletiva dos direitos humanos: uma análise pelas
lentes descoloniais” com a pesquisadora Fernanda Frizzo Bragato, nesta quinta-feira (19/9), às 19h30, na Procuradoria-Geral de Justiça, em Cuiabá.

“Por exemplo, maior letalidade policial em relação a jovens negros, altas taxas de homicídio entre a população LGBTI, racismo institucional, obstáculos de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, trabalho escravo, paralisação de demarcação de terras indígenas e outros. Tenho chamado esse fenômeno de violação seletiva de direitos humanos e tentado explicá-lo à luz de uma teoria relativamente nova no campo acadêmico.

Trata-se da teoria descolonial que, a partir da ideia de continuidade da lógica colonial nas sociedades contemporâneas, explica as assimetrias de poder nas relações sociais”, destaca.

A professora doutora pretende discutir o tema por entender que as pesquisas acadêmicas devem dialogar com a sociedade e, no caso do Direito, deve “trazer subsídios teóricos para incrementar a prática jurídica daqueles que compõem o sistema de justiça, que, muitas vezes, não percebe adequadamente esse fenômeno”.


O evento e inscrições

O evento é organizado pela Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso (FESMP-MT) e o Núcleo de Estudos Científicos sobre a Vulnerabilidade da Faculdade de Direito da Universidade Federal
(NEVU/UFMT), coordenado pela juíza de Direito e professora da UFMT Amini Haddad Campos.

A Fundação Escola emitirá certificado de 4h/a. As inscrições estão abertas mediante a entrega de 1Kg de alimento não perecível. Informações pelo (65) 3363-0600, 99658-1800 ou secretaria@fundacaoescola.org.br.

Assessoria de Imprensa FESMP

16, setembro, 2019|